Você já ouviu falar de Brutalismo?

Reflexões do grupo de estudo do Instituto Perifa Sustentável acerca da entrevista de Achille Mbembe sobre seu livro Brutalism.

Por Amanda da Cruz Costa

Achille Mbembe
(Filósofo, Teórico Político, Historiador, Intelectual e Professor)

Olá meu caldinho de abóbora com pão 9 grãos 🙂

Você que me acompanha há um tempo, sabe que estou à frente do Instituto Perifa Sustententável, uma organização que tem a missão de mobilizar juventudes para criar um nova agenda de desenvolvimento sustentável para o Brasil, a partir da perspectiva racial e climática. 

Para apoiar a formação de nossos(as)articuladores(as), estamos realizando grupos de estudos quinzenais, e o nosso último encontro teve como tema o texto Brutalismo do Antropoceno – Entrevista com Achille Mbembe.

Confira os últimos artigos:

Confesso que eu mesma não conhecia o tema, mas graças a esse espaço de aprendizagem seguro que criamos no Perifa, pude acessar e debater sobre esse novo conceito. Conversamos sobre a entrevista que o filósofo Achille Mbembe concedeu para Sylvain Bourmeau do canal France Culture sobre seu livro Brutalisme, no dia 25 de janeiro de 2020. 

Achille Mbembe é professor de História e Ciências Políticas na Universidade de Witwatersrand (Joanesburgo), pesquisador do Wits Institute for Social and Economic Research (WISER) e criou o conceito de necropolítica. O termo Brutalismo se refere ao movimento arquitetônico famoso pelo uso eficiente do concreto bruto, e em sua narrativa, o conceito adquiriu uma forma original e ambiciosa, se tornando um livro de urgências.

Durante a entrevista, Mbembe comentou que por conta da “lógica da nova tecnologia”, que intervém em nossas existências e produz um certo tipo de violência contra nossos corpos, cérebros e a própria natureza, estamos vivendo num planeta em “franca combustão”.

“Trata-se de um planeta que será preciso, bem ou mal, compartilhar; que será preciso recuperar, pois já o danificamos o suficiente.”

Achille Mbembe

A real-oficial é que o sistema capitalista criou uma política de corpos que podem ser descartados ou simplesmente substituídos. Houve uma domesticação da velocidade, que nas mãos de uma minoria que controla os meios de produção, se tornou uma arma. 

Estamos imersos num processo de alienação diária que acontece não somente quando estamos acordados, mas também interfere na nossa capacidade de sonhar novas perspectivas de existência! A lógica produtivista estimula um sentido individualista, fazendo com que a sociedade viva numa busca incessante pelo enriquecimento e sem se permitir ter tempo de ócio, sempre restringindo descanso e lazer.

O tempo agora implodiu completamente. Não parece existir mais uma relação entre passado, presente e futuro. Na verdade, é como se, não apenas o tempo restasse fragmentado compartimentado, mas é como se houvesse uma evisceração de toda a ideia de futuro.”

Achille Mbembe
Tradução: O tempo está passando!

Precisamos encontrar uma nova lógica para garantir nosso bem-viver. De acordo com Camões, cientista social, pesquisador e articulador do Perifa Sustentável, “mesmo sendo explorados, ainda temos o poder da ação contrária à ideologia posta.”

Portanto, meu querido leitor, gostaria de te fazer um convite:

  • Que tal aprender com o passado, interceder no presente e construir com a gente um futuro justo, democrático e sustentável?

Nós, do Instituto Perifa Sustentável, estamos comprometidos com essa missão e caso queira somar junto, você será muito bem vinda/o/e <3

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.