Um novo ano, uma nova jornada: Reflexões sobre Saúde Mental em Janeiro Branco

“Saúde Mental enquanto há tempo!” Você já parou para pensar em todo o sacríficio que já fez para bater aquela meta? Terminar aquele trabalho? Correr, correr e correr mais contra o tempo… porquê? 
O tempo todo estamos falando de saúde mental, mas já tem quanto tempo que você negligencia a sua? Quantas vezes disse ao outro para se cuidar, enquanto você mesmo estava prestes a surtar? 

Vamos nos cuidar, enquanto há tempo! 

Por Duda Matias

Ano novo, vida nova! Quantas vezes não falamos isso a nós mesmos toda vez que acontece a virada do ano? E, quantas vezes nossas metas ou pensamentos durante o réveillon realmente se concretizam?

Quando bate 00h do dia 31 de dezembro, qual turbilhão de pensamentos que passam pela sua mente? Eles são bons, ruins?

Pois é, geralmente o mês de janeiro é bem reflexivo para a maioria de nós, cheio de metas, planos… Porém ao longo  do ano frequentemente nos esquecemos ou nos desviamos do objetivo, a vida rotineira vai nos invadindo e alguns de nós até perdem as esperanças. As expectativas criadas tendem a gerar sérias frustrações  no futuro, isso, infelizmente, afeta diretamente a nossa saúde mental.

Imagem: Canva

Em 2022 tivemos a maior revisão mundial sobre saúde mental desde o séc. passado, pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Estávamos até evoluindo um pouco na questão do suicídio, porém a Pandemia de COVID-19, infelizmente, desestabilizou fortemente as pessoas. Apenas no primeiro ano de pandemia, os casos de depressão e ansiedade aumentaram mais de 25% em relação aos anos anteriores. 

“Em 2019, quase um bilhão de pessoas – incluindo 14% dos adolescentes do mundo – viviam com um transtorno mental. O suicídio foi responsável por mais de uma em cada 100 mortes e 58% dos suicídios ocorreram antes dos 50 anos de idade. Os transtornos mentais são a principal causa de incapacidade, causando um em cada seis anos vividos com incapacidade. Pessoas com condições graves de saúde mental morrem em média 10 a 20 anos mais cedo do que a população em geral.”

Organização Pan Americana de Saúde

Falar sobre transtornos mentais ainda é um grande estigma social e, também, é origem de muitos preconceitos. Embora esse assunto tenha crescido muito em relação aos anos anteriores – e isso, por si só, já é um grande avanço – a depressão ainda é considerada o mal do século. O mundo suplica por mudanças nesse tema, tanto em conteúdo informativo, quanto no compromisso populacional e estadual, quanto na melhora dos sistemas de saúde e serviços focados em saúde mental para comunidades mais carentes.

Assim, surge a campanha: Janeiro Branco 2024, com o nome “Saúde Mental enquanto há tempo! O que fazer, agora?” 

Mês da conscientização da saúde mental e emocional, Janeiro Branco objetiva alertar a população sobre a necessidade do cuidado com o nosso psicológico. Nesse período a mídia foca principalmente em divulgar conhecimentos sobre os transtornos mentais, informativos sobre como e onde procurar ajuda e tratamentos de prevenção. E, justamente por ser o mês que estamos mais reflexivos, propensos e com energia, podemos reescrever uma nova vida em uma folha ou tela em branco.

Ainda mais nesses tempos de era digital, onde somos bombardeados de informações; onde as mudanças climáticas estão no seu auge; onde a comparação da realidade com outras vidas na internet é o tempo todo martelada nas nossas mentes; onde o dinheiro passa a ser o único foco para sobreviver; os transtornos mentais estão cada vez mais propensos a se desenvolverem, principalmente a síndrome de Burnout.

Obs.: Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico resultante de situações de trabalho desgastante, que demandam muita competitividade ou responsabilidade. A principal causa da doença é justamente o excesso de trabalho, segundo o Ministério da Saúde.

Mas o que realmente é estar saudável psicologicamente?

Estar mentalmente saudável, de acordo com a OMS, é o estado de bem-estar no qual uma pessoa consegue exercer suas habilidades, lidar com os desafios da vida, é capaz de trabalhar de forma produtiva e contribuir para a sua comunidade.

Um indivíduo mentalmente saudável compreende que não existe a perfeição e que todos os seres humanos possuem limites. Também compreende que a vida real é regada de diversas emoções, como por exemplo: alegria, amor, satisfação, tristeza, raiva e frustração.

Além disso, são capazes de enfrentar as mudanças da vida cotidiana com equilíbrio e sabem procurar ajuda quando têm dificuldade em lidar com conflitos, perturbações, traumas ou transições importantes nos diferentes ciclos da vida. Estar bem consigo mesmo e com seus familiares, colegas, amigos e qualquer outro, reconhecer o próprio limite e buscar ajuda quando necessário.

Agora, você me pergunta, por acaso isso é humanamente possível???! 

Bom, eu não sei te dizer, mas posso afirmar que podemos ter pelo menos algumas dessas partes equilibradas na nossa vida. E, o primeiro passo em busca de uma mente mais saudável – pasmem – é manter uma alimentação saudável, fazer exercicíos físicos, beber água, respirar, se organizar e sair de casa! Eu sei, eu sei é um pouco difícil de acreditar, mas esses pequenos hábitos realmente ajudam (frase clichê, hê).

A assistência de um profissional de saúde mental também é sempre bem vinda, temos a tendência de só procurar auxílio em momentos torturantes, catastróficos, quando você não consegue mais levantar da cama. NÃO FAÇA ISSO. Há circunstâncias que não devem aguardar até que você esteja à beira do colapso para então serem abordadas. É fundamental cuidarmos delas antecipadamente, concorda? 

Mesmo se você não achar que precisa de ajuda, se você notar sentimentos angustiantes, ansiosos, estressantes ou apavorantes, procure a ajuda de um profissional. Ter uma visão de fora junto com um acompanhamento psicológico faz uma diferença gigantesca no nosso jeito de pensar e de se relacionar com a vida. E, até mesmo, se você apenas quiser se conhecer mais, vai ser um ótimo amparo.

Imagem: Canva

Este é só mais um texto para pedir: SE CUIDEM, de verdade, se cuidem. A única coisa que realmente temos nesse mundo é a nossa vida. Você não está sozinho. Você não está sozinha. Nós estamos juntos. Sempre existe alguma solução, não desistam de si mesmos, dos sonhos de vocês, das esperanças. Não desistam de amar a vida, eu sei, é extremamente dolorido, mas estamos aqui, para apreciar ainda mais a magia de viver. Enquanto há vida, há esperança e há possibilidade.

Faça a faculdade que você gosta, pule de cabeça nos seus projetos, termine aquela conversa confusa com aquela pessoa. Faça carinho no seu bichinho, arrume tempo pra ti, para pensar na sua vida, objetivos, metas, planos, viagens. Renove o corte de cabelo, compre aquela coisa que sempre quis, mas não se deu a oportunidade de ter por qualquer motivo. Observe as coisas, escute música, pinte, desenhe, escreva, leia. Diga “eu te amo”, inclusive pra si mesmo. Viva. A vida é curta, mas dá tempo de aproveitar das mais diferentes formas possíveis.

E, por fim, lanço um desafio a você. Escreva uma carta para você do futuro, pode ser qualquer coisa, metas, conselhos, histórias, mas eu quero que lá você coloque palavras de afirmação, acolhedoras, cuidadosas, palavras de amor a você mesmo. Quero que, quando chegar o momento de ler a carta, você se sinta abraçada por ti mesmo e que sinta orgulho da sua caminhada, independente se as coisas não tiverem sido como você planejou.

E você vai fazer isso nesse site aqui: https://www.futureme.org/

É um site que automaticamente vai programar essa carta para o seu eu do futuro, e vai chegar no seu email, ou seja, você não precisa se preocupar. Ele é feito pra isso e tem as opções de escolher qual momento o seu eu do futuro vai ver essa carta, se é daqui 1 mês, 2, 3… 1 ano, você escolhe! E, dica da Duda, eu aconselharia a talvez, se der, vocês colocarem isso como hábito, a cada 3 ou 6 meses enviar uma cartinha para o seu eu do futuro. Pode te ajudar a reestabelecer metas, planos e é uma alternativa de sempre voltar a si, é um refúgio para quando estiver perdido e também é uma forma de observar sua evolução!

Espero que vocês gostem da experiência 🙂 beijo e tomem água!

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *