(português/español) Super Fulanito na COP18 – dia 09

(português)

Olá meus amigos e minhas amigas! Espero que vocês estejam muito bem. Compartilho com vocês o que fiz no meu nono dia de COP.

Cheguei cedo ao QNCC para a reunião com a delegação do Equador. Desta vez estaba presente a vice-ministra do Ambiente, Mercy Borbor. Todos os negociadores lhe desejaram boas vindas e relataram os avanços das negociações, o que tem sido no mínimo um consolo para o Equador, porque alguns países não estão acostumados a compartilhar as suas posições e, somado ao pouco compromisso dos países desenvolvidos, faz com que os equatorianos tenham uma preocupação constante.

Termianda a reunião, eu saí para os corredores do QNCC para saudar os meus amigos que fiz estes dias e são de outros países. Chegando ao corredor de número 7 eu fui parte de uma atividade interessante. Consistia em escrever o meu compromisso em uma folha e coloca-la em uma árvore que caminhava! No momento a árvore já tinha muitas folhas, estava cheia de manifestações e compromissos das pessoas. Tomara que essas boas intenções se tornem realidade no final da COP.

Canso de caminhar, eu fui ao pavilhão da União Europeia para comer um pouco (conto só para você que lá tem comida de graça!) e logo me convidaram para participar de uma conversa com Connie Hedegaard, uma negociadora da União Europeia. Como de costume, eu fui a sensação do evento e não resistiram de fazer uma foto comigo!

Saí correndo da reunião pois eu havia me comprometido a cobrir uma ação dos jovens da YOUNGO que se chama “I am parto f the solution” (Eu sou parte da solução). Você sabem que as vezes me custa um pouco entender o inglês, mas nesse momento senti que eu também era parte da solução, juntamente com outros jovens que fazem educação, plantam árvores, vão à escola de bicicleta e, todos juntos, falamos como nós somos parte da solução.

Minha agenda apertada me obrigou a me despedir dos jovens cheios de entusiasmo para me reunir com os jovens da América Latina, mas no caminho me pediram para cobrir a chegada do Emir Sheikh Hamad bin Khalifa Al Thani, que traduzindo para o português  é como um General/Presidente do Qatar. Mas, como os meus amigos latino-americanos estavam me esperando, eu não pude fazer uma entrevista. Na reunião conversamos sobre como fortalecer o movimento juvenil climático para ter mais presença e incidência nas próximas COPs e em eventos similares.

Finalmente, Farrukh Zaman, um repórter da YOUNGO, fe zuma entrevistas com os jovens do “Global South” (Global Sul), perguntando sobre as atividades que fazemos em nossos países, o que estamos fazendo na COP e quais são as lições que vamos levar aos nossos países.

Cansado desse dia lotado, decidi me juntar ao grupo de jovens do “Global South” para ir a um evento cultural no Centro Cultural Katara. Assisti relatos e histórias tradicionais de uma mulher que vive no deserto e na sequência eu escutei a Filarmônica do Qatar em um teatro muito bonito. Mas, o melhor de tudo foi que nos deram comida grátis! O lado ruim é que tivemos que caminhar muito na saída para apanhar um táxi , já que os ônibus haviam acabado.

Muito cansado de mais um dia agitado, cheguei ao meu hotel e dormi como uma pedra!

 

(español)

Hola amigos y amigas, esperando que estén muy bien, comparto lo que hice hoy en el 9vo día de la COP.

Llegué temprano al QNCC para la reunión con la delegación de Ecuador. Esta vez estuvo presente la Viceministra de Ambiente, Mercy Borbor; todos los negociadores le dieron la bienvenida y relataron el avance de las negociaciones, el cual ha sido mínimo y desalentador para Ecuador porque algunos países no comparten sus posiciones y, sumado al poco compromiso de los países desarrollados, hace que los ecuatorianos tengan una constante preocupación.

Terminada la reunión, salí a los Halls del QNCC para saludar con amigos que he hecho estos días y que son de otros países. Llegando a Hall 7 fui parte de una actividad interesante, consistía en escribir mi compromiso o petición en una hoja, y colgarla en un árbol caminante; al momento el árbol ya tenía muchas hojas, estaba lleno de peticiones y compromisos de la gente, ojalá esas buenas intenciones se hagan realidad al final de esta COP.

Cansado de caminar, me fui al EU (Unión Europea) Pavillion para comer un poco (les cuento que ahí la comida es gratis), y luego me invitaron a participar de un conversatorio con Connie Hedegaard, una negociadora de la EU; como es usual, causé sensación en el evento y no pudieron resistirse tener una foto conmigo.

Salí corriendo de la reunión porque me había comprometido en cubrir una acción de los jóvenes de YOUNGO que se llama “I am part of the solution”, ustedes saben que a veces me cuesta un poco entender el Inglés, pero en ese momento sentí que también era parte de la solución, conjuntamente con otros jóvenes que hacen educación, siembran árboles, van a la escuela en bicicletas, y juntos hablamos de cómo “somos parte de la solución”.

Mi apretada agenda me obligó a despedirme de esos jóvenes llenos de entusiasmo para reunirme con los jóvenes de Latinoamérica, pero en el camino me pidieron que por favor cubra la llegada del Emir Sheikh Hamad bin Khalifa Al Thani, que traducido al Español es como el General o Presidente de Qatar. Debido a que mis amigos de Latinoamérica me estaban esperando, no pude hacerle una entrevista. En la reunión, discutimos sobre cómo fortalecer el movimiento juvenil climático latinoamericano para tener mayor presencia e incidencia en futuras COPs y eventos similares.

Finalmente, Farrukh Zaman, un reportero de YOUNGO, nos hizo una entrevista a los jóvenes del “Global South”, preguntando sobre qué actividades se hacen en nuestros países, qué hemos hecho en la COP y cuáles son las lecciones que nos llevamos a nuestros países.

Cansado de un largo día, decidí unirme al grupo de jóvenes del “Global South” para ir a un evento cultural en el Centro Cultural Katara; presencié relatos e historias tradicionales de una mujer que vive en el desierto y luego escuché la Filarmónica de Qatar en un teatro muy bonito; pero lo mejor de todo, es que nos dieron comida gratis. Lo único malo es que tuvimos que caminar mucho a la salida para tomar un taxi, ya que los buses se habían terminado.

Exhausto de otro día agitado, llegué al hotel y dormí como una piedra.

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *