Medula Óssea é tema da SBPC Jovem

Oficinas incentivam a doação de medula óssea na SBPC

Na manhã do dia 24 de Julho, na reunião anual da SBPC, o acadêmico de Medicina na UFMA, Vinícius Aguiar, 20, coordenou uma oficina de doação de medula óssea, com o objetivo de mostrar como ocorre a doação e estimular a formação de mais doadores.

O estudante mostrou de forma dinâmica o que é a medula óssea, e como ela forma os tecidos do corpo. O foco da apresentação foi a escassez de doadores, principalmente por receio das pessoas pelo processo de doação.

Para doar, basta ter de 18 a 55 anos e responder positivamente aos exames. Em um primeiro momento o doador apenas cede uma pequena amostra de sangue. Somente quando é encontrado um paciente compatível, que precisa da doação da medula, é feita a coleta por uma agulha que adentra o osso, sob anestesia geral, e a medula é armazenada até achar um receptor compatível. “O processo é indolor e inócuo, ou seja, não causa nenhum dano ao doador. Após poucos dias ele já poderá seguir normalmente sem sequelas”, comentou Vinícius.

Outro problema destacado que favorece a escassez de doadores é a falta de postos médicos preparados para a doação. No Nordeste, só há médicos habilitados no Ceará e na Bahia. “Embora haja poucos postos médicos, o governo federal financia a viagem de pessoas que desejam doar e não possuem postos na sua cidade. Por exemplo, se alguém do Maranhão quiser doar, toda sua viagem para doar no Ceará será doada pelo Governo Federal.” Destacou o acadêmico do quinto período de medicina.

Texto: Vitor Hugo (MA) / Imagem: Vitor Hugo (MA).

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *