Humanamente Deus:

Uma reflexão sobre o livro de Vitor Azevedo

Por Amanda Costa

“Jesus não era um mero pacifista que pregava a palavra de Deus, mas um líder revolucionário que desafiou o Estado”.

Reza Aslan

Querida lindeza climática, você já pensou na faceta humana de Deus?

Certo dia, eu estava conversando com um amigo sobre carreira, propósito e espiritualidade. Estávamos num hotel na cidade de Mairiporã, aproveitando um momento de descanso após um dia cheio de atividades, palestras e treinamentos.

Em determinado momento da conversa ele disse,

  • Amanda, seu trabalho é muito lindo. Já pensou que justiça climática é resgatar a criação de Deus? É lutar para que a gente volte a cuidar do mundo como no jardim do Éden.

Naquele momento, meu coração acelerou e eu senti o abraço de Deus na minha alma! Foi ali que que tive a certeza que meu trabalho vai muito além de um simples ativismo climático, mas faz parte da missão que Deus colocou no meu coração para apoiar seu plano para a humanidade.

Mas falar de Deus ficou tão complicado nos últimos dias…

Eu cresci na igreja e desde pequena busco ser ativa no desenvolvimento da minha fé. Contudo, o aumento de discursos de ódio, a conexão escancarada da política com a religião e a atribuição de Jair Bolsonaro como o novo Messias me deixou desacreditada de alguns espaços religiosos.

Depois de muitas crises, choros e conversas com Deus, ousei me libertar das crenças, dogmas e costumes impostos pela igreja tradicional e reencontrar aquele Jesus que eu havia me apaixonado no começo da minha conversão, um Deus Humano.

“Ousou repensar sua fé, ressignificar suas crenças, refazer seus caminhos, buscar novas redes de afetos e relações – o que geralmente acontece com quem experimenta uma metanóia, uma expansão de consciência.”

Ed René Kivitz

Num mundo de narrativas dominantes, pensar fora da caixa se tornou um ato de insubordinação. Mas quando lembramos de Jesus, será que ele não agia como um insubordinado?

Quando penso no meu amado imagino um cara inquieto, questionador, insubmisso, revolucionário e dono de um amor radical. A Bíblia conta a história de um Deus que abriu mão de todo o poder, escolheu esvaziar-se de si mesmo, entrar num espaço tempo e habitar num corpo humano, morando na terra a fim de transformar o mundo.

“Todo menino quer ser homem. Todo homem quer ser rei. Todo rei quer ser Deus. Só Deus quis ser menino”.

Leonardo Boff 

Querida leitora, não dá mais para aceitar um evangelho que justifique posicionamentos teológicos (e até mesmo políticos) citando versículos bíblicos  de maneira isolada e fora de contexto. Quer ver alguns exemplos? 

  • Vocês comerão a carne dos seus filhos e das suas filhas. (Levítico 26:29)
  • Então o Senhor mandou entre o povo serpentes ardentes, que picaram o povo; e morreu muita gente em Israel. (Números 21:6)
  • Quando pelejarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar a seu marido da mão do que o fere, e ela estender a sua mão, e lhe pegar pelas suas vergonhas, Então cortar-lhe-ás a mão; não a poupará o teu olho. (Deuteronômio 25:11-12)
  • Julguem entre vocês mesmos: é apropriado a uma mulher orar a Deus com a cabeça descoberta? A própria natureza das coisas não ensina a vocês que é uma desonra para o homem ter cabelo comprido, mas que o cabelo comprido é uma glória para a mulher? Pois o cabelo comprido foi dado à mulher como um manto. (1 Coríntios 11:13-15)
  • Que a mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. (1 Timóteo 2: 11-12)

Pois é, minha querida leitora, Em nome de Deus diversas atrocidades e violências foram cometidas. E sabe o que é pior? Ainda tem muito “cidadão de bem” utilizando o nome de Deus para justificar seus atos egocêntricos, dizendo que está simplesmente fazendo “a vontade do Pai”.

O Cristo que foi crucificado não crucifica; o Cristo que foi condenado não condena. O nosso Deus abraça e se identifica com a gente, mesmo no nosso sofrimento e na nossa dor, porque Ele tem boca e fala, tem olhos e vê, tem mãos e toca, tem coração e sente. E em Jesus nós vemos essa sabedoria expressa de Deus, que para o mundo é fraqueza, mas para nós é a manifestação do Seu amor!

Vitor Azevedo

Jesus Cristo nos convida para transformar o mundo em AMOR

Diferentemente do que muita gente pensa, o amor não é passivo, e nem sempre é pacífico. O amor também é uma força de indignação contra a injustiça, o mal e a indiferença contra as desigualdades sociais.

Pensar num AMOR RADICAL é algo que mexe profundamente comigo. Recentemente, tive um encontro mega especial com Satish Kumar, defensor da filosofia do amor, e sai completamente tocada da conversa (veja mais aqui).

No final de tudo, eu quero escolher o amor. Amor acima do ódio, dos preconceitos, dos estereótipos, do medo, da ansiedade, da imaturidade, da ignorância e da solidão. Quero caminhar com os olhos fixos em Jesus, aprendendo diretamente com o mestre como posso ser um pedacinho de Deus aqui na terra.

Um pedacinho de um Deus Humano.

“O verdadeiro caminho espiritual não é uma escalada ao topo, mas um inclinar-se ao chão para encarnar a história de um Deus que nasceu em uma manjedoura, comeu com pecadores, suou sangue e morreu nu e humilhado.”

Victor Azevedo

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *