Especial Migrações #02: Breve Histórico Migratório do Brasil

Por Mariano Figuera e Mona Perlingeiro. Supervisão: Pedro Neves | Núcleo Migrações AJN

O primeiro censo feito no Brasil aconteceu em 1872, ainda no período imperial, cujo líder era Dom Pedro II. Em 1889 foi proclamada a República Brasileira, apenas um ano depois da abolição da escravatura no Brasil em 13 de maio de 1888. O país passou por diversas transformações políticas, sociais e econômicas antes de entrar no século XX, que foram ocasiões determinantes para mudar o perfil dos habitantes do país.

Tabela com resultados do recenseamento de 1872, tabulados pela Diretoria Geral de Estatísticas

Em 1872 o Brasil tinha 10.112.061 habitantes, entre eles 5.224.551 homens e 4.887.510 mulheres; 1.510.866 pessoas escravizadas e 138.560 estrangeiros; isto sem mencionar a população indígena de maneira mais precisa, que vivia desde 1500 uma grande redução de sua população. 

Um dos fatores que mais chamam a atenção diante desses números, é que ainda existiam muitas pessoas em situação de escravidão em um momento que muitos países estavam saindo desta estrutura social e econômica, sendo o Brasil o último país do mundo a abolir o regime escravocrata nas Américas.

Ainda assim, não poderíamos chamar a imigração em massa da população africana ao Brasil de outra coisa senão tráfico de pessoas, ou seja, indivíduos que foram obrigados a fazer uma migração forçada através dos navios negreiros.

Escravos no porão de um navio negreiro, Johann Moritz Rugendras, 1826-35. Reprodução/ Coleção Instituto Ricardo Brennand, Recife.

Vemos também que o número de estrangeiros em relação ao resto da população ainda é bastante tímido em 1872, fato que vai mudando paulatinamente ao final do século XIX, especialmente após o fim da escravidão de 1888, momento em que a questão migratória no Brasil se redesenhou com o estímulo feito para que o país recebesse mais imigrantes, principalmente europeus, como forma de embranquecer a população brasileira.

Desembarque de imigrantes na estação da Hospedaria do Brás. São PauloBrasil. 1908. Acervo Museu da Imigração / APESP.

Neste momento, já havia um número bastante marcante de portugueses no território brasileiro, além de franceses, ingleses, espanhóis e alemães que já estavam em grande número no país. No censo de 1920 o número de imigrantes italianos salta de 5.558 (1872) para 558.405, só para se ter uma noção de como foi mudando o perfil demográfico do país no início do século XX.

O Brasil era destino dessas populações pelas mais diversas razões, mas sobretudo pela escassez de recursos e conflitos internos do continente Europeu. Além de italianos, em 1920 o Brasil já contava com 433.577 portugueses, 219.142 espanhóis, 52.870 alemães, 50.251 pessoas do Império Otomano, 33.621 uruguaios, japoneses, russos, poloneses entre tantas outras nacionalidades, e naquele ano o país já contava com 1.565.961 de estrangeiros.

Imigrantes e migrantes aguardando a chamada para o registro no Livro de Matrícula da Hospedaria do Brás, 1930-1939. Reprodução Museu da Imigração do Estado de São Paulo.

A partir de 1940 o número de imigrantes começa a ter uma queda, comparado ao grande volume de pessoas que chegam no início do século XX.

O Brasil sempre recebeu pessoas das mais diversas etnias, e atualmente conta com mais de 1 milhão de estrangeiros vivendo em terras brasileiras, mas o que chama mais atenção é que existem mais brasileiros fora do país do que estrangeiros dentro vivendo aqui, você sabia disso?

Somos um país de emigrantes, e de acordo com o Ministério das Relações Exteriores, são quase 3 milhões de brasileiros que vivem fora do país!

O dia 20 de junho é o Dia Mundial do Refugiado. Data aprovada pela ONU e dedicada à conscientização sobre a situação dos refugiados em todo o mundo. No Brasil, dia 25 de junho é o Dia do Imigrante. Para marcar estas duas datas, o Núcleo Migrações da AJN produziu uma série de conteúdos relacionados à questão. Serão textos publicados nos idiomas português e espanhol e peças para as redes sociais. Acompanhe o Especial Migrações da Agência Jovem!

Acesse aqui o primeiro post da série:

Ver +

2 Comments

  • Olá me chamo Evando, gostei muito do trabalho de vocês.

    • Oi Evando! Muito obrigada por acompanhar e por deixar seu comentário! Ficamos felizes de saber que você curte. Compartilha com a sua galera!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.