ENEM 2023: notas liberadas, caminhos a seguir e algumas reflexões

Após dois meses de espera, as notas do ENEM finalmente estão entre nós! Este texto, além de abordar sobre os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), trará  alguns questionamentos sobre a prova e apresentará caminhos para os vestibulandos ficarem atentos neste início de ano!

Por Camila Alves

Todo ano, a mesma coisa: dois dias de provas e dois meses de ansiedade com a espera do resultado que determina um passo importante em nossas vidas. Talvez o resultado da prova não tenha sido favorável para muitos estudantes, e eu não gostaria de vir aqui e apenas dizer que “você é maior que uma nota”, porque há muitas camadas a serem pensadas sobre isso.

Eu sei que, para quem vem de baixo, fazer uma faculdade é uma chance de abrir portas para si e para a família. Sei também que, infelizmente, nosso país valoriza demais uma formação em curso superior no currículo e, por isso, nos vemos sem opção a não ser realizar essa prova de 180 questões e uma redação.

Por que não temos opção? Porque muita pressão é colocada nos estudantes do Ensino Médio e nos vestibulandos, como se a prova do ENEM fosse determinar os seus caminhos futuros dali para a frente. Estejam preparados ao ler a próxima frase: o ENEM não é uma prova de inteligência, mas sim um vestibular classificatório e de sobrevivência. 

É importante entender isso, pois não temos as mesmas condições educacionais dentro da sala de aula. Como é possível um aluno que sequer consegue ter uma aula decente, seja por falta de professor, estrutura ou incentivo, conseguirá enfrentar 5 horas de prova com textos enormes e elaborar uma redação, sem o mínimo de preparo?

Um dos dados publicados pelo INEP, instituto responsável pela aplicação do ENEM, traz essa constatação sobre como a prova é. De 2,7 milhões de estudantes presentes na realização da prova, apenas 60 tiraram nota mil na redação, sendo que somente 4 pessoas são de escola pública. 

Redações nota 1.000 por estado | Fonte: INEP

Apesar disso, este texto não está aqui para te desmotivar a seguir o seu sonho de fazer uma graduação. Precisamos, apesar de tudo, estar dentro desses espaços onde eles querem nos excluir – a faculdade é um deles. Por isso, pensando além do papo sobre o vestibular em si, vamos conhecer algumas opções para quem deseja ingressar em um curso de ensino superior.

Programa Universidade Para Todos (ProUni)

O ProUni oferta bolsas de estudo integral ou parcial (50% do valor da mensalidade do curso) em cursos de graduação em faculdades privadas. Para participar do programa, o vestibulando precisa atender à algumas condições socioeconômicas:

  • Não ter certificado de curso de ensino superior
  • Ter cursado o ensino médio integralmente em escola da rede pública ou em instituição privada com bolsa integral;
  • Ter realizado pelo menos uma das duas últimas edições do Enem, realizada antes do processo seletivo
  • Ter alcançado, no mínimo, 450 pontos de média nas notas, além de não ter zerado a redação do ENEM
  • Comprovar a renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo (para bolsa integral) ou até 3 salários mínimos (para bolsa parcial de 50%).

As outras condições e outras dúvidas você pode encontrar neste link. Ainda não foi anunciada a data de abertura para se inscrever neste programa, mas fiquem de olho nas redes sociais do INEP!

Sistema de Seleção Unificada (SISU)

O SISU oferece vagas em instituições públicas de ensino superior de todo o Brasil, sendo a grande maioria delas ofertada por instituições federais (universidades e institutos). 

Este será o primeiro ano em que o SISU adotará algumas mudanças feitas a partir da atualização da Lei de Cotas. Antes, os estudantes que gostariam de concorrer às vagas pelas cotas tinham um espaço específico para isso; agora, todos que se inscreverem tentarão primeiro as vagas da ampla concorrência e depois, pelas cotas.

Outras mudanças para este ano são as cotas específicas para quilombolas e a diminuição do valor mínimo da renda bruta familiar por pessoa – um salário mínimo. 

Você pode se inscrever no SISU de 22 a 26 de Janeiro, através deste site (é preciso realizar o mesmo login que foi utilizado para se inscrever no ENEM, assim o sistema já resgata suas notas para o processo seletivo). Também será necessário responder um questionário de perfil socioeconômico para Lei de Cotas (seguindo um pouco as condições do ProUni).

Além dessas opções apresentadas, o estudante também tem a possibilidade de escolher o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ou participar de processos seletivos que as próprias instituições realizam, com o objetivo de conseguir descontos nas mensalidades. 

Diante dos desafios apresentados pelo ENEM, é fundamental que os vestibulandos considerem todas as alternativas disponíveis, conscientes de que o caminho para a realização profissional pode ser construído através de diversas oportunidades educacionais. Mais do que uma nota, é a determinação, a resiliência e a busca constante pelo conhecimento que vão moldar o futuro desses jovens, permitindo que alcancem seus objetivos independentemente das adversidades enfrentadas ao longo do percurso.

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *