A arte de falar e fazer

Reflexões sobre o terceiro livro do Geronimo Theml 
Por Amanda Costa

Progresso não tem linha de chegada.

Geronimo Theml

Fala minha lindeza climática, bele? 🙂

Hoje eu quero conversar contigo sobre procrastinação, que é o padrão de se comprometer a fazer algo, mas sempre adiar. De forma prática, procrastinar é passar tarefas menores (ou de menor importância) na frente de outras que eram mais importantes e que deveriam ser feitas naquele momento, até que o tempo acabe e seja preciso deixar para amanhã.

E amanhã. E amanhã. E amanhã. 

Quando você menos espera, a data de entrega está próxima e você fica maluca, tendo que correr contra o tempo para entregar um trabalho minimamente decente. A procrastinação pode se dar de diferentes maneiras, desde enrolar para fazer aquele relatório chato do trabalho, ir para a academia e cuidar da saúde ou até mesmo sentar a bundinha na cadeira para estudar.

Dentro da minha busca por estratégias para vencer a procrastinação, encontrei o Geronimo Theml. Meu primeiro contato com seu conteúdo foi em 2019, quando escutei o podcast SAI DA MÉDIA. Continuei ouvindo os papos e em 2021 comprei o livro Produtividade para quem quer tempo, que traz dicas sobre gestão de tarefas e produtividade. Agora, em 2024, comecei o ano mergulhando no livro “A arte de falar e fazer”. 

Foi um conteúdo tão rico, precioso e gostosinho que decidi compartilhar meus aprendizados contigo, minha querida leitora. Booora que bora? <3

O que é procrastinação?

A procrastinação atinge milhares de pessoas. De acordo com o Dr. Joseph R. Ferrari, professor da Universidade Depaul, em Chicago, a procrastinação é “o adiamento intencional e frequente de iniciar ou concluir uma tarefa ao ponto de experimentar desconfortos subjetivos, como ansiedade e arrependimento”.

Loucura, não é?

Muitas vezes sabemos que temos algo importante para fazer, queremos entregar um trabalho com excelência, mas por algum motivo esquisito, adiamos a execução da atividade até o último minuto.  E não basta simplesmente querer, pois força de vontade não funciona. É necessário técnica, estratégia e muuuito autoconhecimento para enfrentar esse grande desafio.

Entendendo nosso ciclo cicardiano

Para a gente conseguir vencer a procrastinação, precisamos entender qual é o período do dia que temos mais energia. No geral, existem quatro grupos de pessoas:

  • Matutinos: pessoas que dormem mais cedo, acordam cedo e têm maior energia para realizar as suas atividades pela manhã; 
  • Vespertinos: dormem e acordam mais tarde, por isso têm maior disposição em períodos da tarde;
  • Intermediários: a disposição e o sono acontecem em horários intermediários; 
  • Bimodais: pessoas que tendem a variar a rotina do sono e têm maior disposição no início da manhã ou no fim da tarde.

Entender em qual grupo você se encaixa nessa categorização fará total diferença na sua distribuição de tarefas e capacidade de executá-las ao longo do dia. Imagine se uma pessoa matutina, que tem mais energia pela manhã, esperar chegar a noite para realizar uma tarefa importante, como estudar um novo idioma. Ela vai dormir com a cara nos livros!

A produtividade é o resultado de escolher a tarefa adequada ao seu momento de energia de realização.

Geronimo Theml

Para ficar mais fácil de entender, pense na força de vontade e na energia de realização como se fossem uma bateria de celular. Ela é finita, tende a ir acabando ao longo do dia e precisa ser carregada.

A questão é: você está carregando as suas energias?

Às vezes sentimos que não temos energia, força de vontade e disposição, mas nas verdade estamos há muito tempo negligenciando o nosso corpo, mente e espírito. Separe um tempinho e reflita:

  • Você está bebendo água? Beber dois litros de água por dia causa uma super melhora no nosso bem-estar: as dores de cabeça diminuem, nossa pele fica mais hidratada, há melhora no fluxo intestinal e os nossos níveis de atenção e disposição mental aumentam significativamente.
  • Você está dormindo bem? A quantidade de sono que uma pessoa necessita varia, mas, em geral, a maioria dos adultos precisa de cerca de sete a nove horas de sono por noite. Se você está em privação de sono por um longo período, é provável que sinta cansaço, irritabilidade e deficiência cognitiva e na memória de curto prazo.
  • Você pratica a limpeza dos pensamentos? A meditação é uma prática milenar que traz milhares de benefícios. Se você ainda não tem esse hábito, não precisa ficar horas e horas sentada numa posição desconfortável e falando “aummmmm”. Basta fazer pequenas pausas durante o dia e praticar a respiração consciente. Isso já será suficiente para silenciar sua mente e se colocar no presente, tendo mais clareza do que é mais importante no aqui e no agora. 
  • Você pratica exercícios físicos? O exercício estimula a produção de serotonina, que atua na modulação do humor; de adrenalina, que nos estimula a ter energia para nos movimentarmos e superarmos nossos limites; de endorfina, um dos nossos hormônios do prazer e do bem-estar; e de dopamina, que nos traz prazer e satisfação, pois é um neurotransmissor ligado ao nosso sistema de recompensa. Quem se exercita com frequência nota uma melhora significativa no foco, no gerenciamento das emoções e na saúde como um todo.
  • Você se perdoa? Pois é! Vejo poucas pessoas falarem sobre isso, mas o perdão é poderosíssimo. Quando nos perdoamos, liberamos espaço mental para focar no que realmente importa em vez de ficar remoendo aquilo que deixamos de fazer. No exato momento em que nos cobramos por algo que não foi feito, podemos tomar dois caminhos: nos punirmos e diminuirmos ainda mais nossa barra de realização, ou nos perdoarmos e gerar o efeito contrário: aumentar a barra de energia de realização.

Muitas vezes, procrastinar uma atividade não está ligado à complexidade dela, mas sim a como nosso cérebro percebe esse afazer. Se observe, mentalize o seu dia, e explore as possibilidades de organização da sua rotina, sendo uma cientista de si mesma 🙂 

O que você ganha ao atingir seus objetivos não é tão importante quanto quem você se torna ao atingi-los.

Zig Ziglar

Ferramentas para lidar com a procrastinação

Agora que já entendemos oque a procrastinação e como ela nos afeta vamos encerrar essa conversa com chave de ouro: O que fazer para vencer a procrastinação? 

Tudo que fazemos repetidamente tem grandes chances de virar um hábito [leia meu artigo sobre o livro Hábitos Atômicos aqui]. Se a procrastinação se tornou um hábito negativo para você, não ache que sua vida acabou e nada mais tem jeito. Como qualquer hábito, ela pode ser modificada.

Mas como?

  1. Divida tarefas grandes em partes menores: se a nossa força de vontade não condiz com o tamanho da tarefa, não conseguimos concluí-la e, algumas vezes, ela vai parecer tão desafiadora que sequer vamos iniciá-la. Se afaste dos pensamentos perfeccionistas e divida uma grande tarefa em vários pedaços menores para começar a executá-la.
  2. Escreva as 5 tarefas do dia na noite anterior: que tal separar a sua noite para planejar o dia de amanhã? Reflita sobre as suas 5 maiores prioridades e coloque no papel. Desse modo, seu cérebro não precisará gastar energia decidindo o que é importante fazer.
  3. 3, 2, 1 AGORA: essa é uma técnica para entrar em ação. Sempre que se perceber paralisado pela preguiça, cansaço ou pela própria procrastinação, diga: 3, 2, 1 – AGORA e parta para ação. Aqui o segredo é não dar tempo para o seu cérebro negociar com o seu sabotador.

Querida leitora, não espere estar motivada para agir. É agindo que a gente se motiva, pois a motivação acompanha a ação!

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *